Expedições avistagem na REVIS de Alcatrazes
     No dia 10 de Dezembro foram retomadas as Expedições de avistagem de baleias, golfinhos e aves marinhas na Revis do Arquipélago de Alcatrazes, marcando o encerramento do Programa de Educação Ambiental da Secretaria Municipal de Educação de São Sebastião – SP. Realizado ao longo do ano, o Programa tem início com palestras e debates sobre o meio ambiente para alunos  e professores de todos os 9º anos da Rede Municipal de Ensino.
     Posteriormente os alunos foram convidados a participar de um concurso de fotos, vídeos, maquetes e poemas. As apresentações foram avaliadas e os autores dos trabalhos melhor avaliados foram convidados a realizar uma visita de Educação Ambiental à Unidade de Conservação e Refugio de vida silvestre de Alcatrazes
Transecto realizado durante a Expedições avistagem na REVIS de Alcatrazes

Transecto realizado durante a Expedições avistagem na REVIS de Alcatrazes

     A expedição Educação Ambiental em Alcatrazes contou com 12 barcos, gentilmente cedidos por seus proprietários que conduziram cerca de 100 pessoas entre alunos, professores, gestores, jornalistas e convidados. O processo foi coordenado por Julio Cardoso, observador e fotógrafo de Baleias e diretor de meio ambiente do Yatch Club de Ilhabela. A partir de uma rota pre-estabelecida, as embarcações seguiram em flotilha por 90 minutos, tempo da travessia de Barra do Una, no continente, até o arquipélago de Alcatrazes. Durante todo o trajeto os participantes observaram atentamente o mar,  com o objetivo de observar alguma baleia ou outro cetáceo, que infelizmente não foram registrados no trajeto.
     Logo na chegada à ilha foi registrada a presença do falcão-peregrino, uma ave de rapina vagante que costuma invernar no Brasil, que foi um registro notável, embora não inédito para a ilha. A movimentada colônia de Fragatas com centenas de casais comprova a importância da região para a conservação dessa espécie, que ali tem a mais importante colônia reprodutiva em todo o Atlântico. As espécies observadas foram listadas e registradas no eBird, contribuindo assim para a incipiente lista de aves de Alcatrazes na plataforma (http://ebird.org/ebird/hotspot/L3852635)
     O evento foi fruto de uma parceria entre a Secretaria Municipal de Educação de São Sebastião, o ICMBIO “Instituto de Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade”, e o Iate Clube de Barra do Una, contando ainda com o generoso apoio dos proprietários dos barcos Aleluya, Altte Nutte, WE5, Esmy, Kavala, Faluki, Barba Blu, Huahine, Sea Spirit, Ballerina, Stars, Scape e Ufa.
     O Instituto Butantan, que há muito realiza pesquisas científicas no arquipélago, particularmente com sua peculiar fauna de serpentes e anfíbios, foi representado na expedição pelo Observatório de Aves – Instituto  Butantan, do Museu Biológico, para avaliar estratégias de cooperação, comunicação e ciência cidadã, e fazer o primeiro teste de campo com o aplicativo AVE (luis.impa.br/ave/) em sua configuração para Baleias e Aves pelágicas.
     Vale citar ainda que o evento foi importante experimento no que diz respeito à parte de uso público que faz parte do plano de manejo da REVIS, já que usuários, pesquisadores, estudantes, monitores e gestores puderam exercitar o uso compartilhado de tão importante bem público. A expedição, portanto, contribuiu na prática para apontar as implicações, desafios e oportunidades que surgem com a perspectiva de abertura de uma UC à visitação.

Julio Cardoso, diretor de meio ambiente do Yatch Club de Ilhabela

Dra. Erika Hingst-Zaher, pesquisadora do Instituto Butantan, ministrando palestra que antecedeu a expedição.

IArquipélago de Alcatrazes

Grupo de atobá-pardo (Sula leucogaster), observados durante a expedição.

Deixe um comentário