Morcego-borboleta no Instituto Butantan
    No Instituto Butantan, fazemos o monitoramento das populações de diversas espécies de animais, entre elas os morcegos. Todos os meses a nossa equipe captura, marca e solta cerca de 40 indivíduos de morcegos. As espécies mais comuns aqui são as que se alimentam de frutos e flores, também chamados morcegos beija-flores.
Morcego-borboleta capturado pelos pesquisadores.

Morcego-borboleta capturado pelos pesquisadores.

     No entanto, tivemos uma surpresa no último monitoramento! Capturamos uma espécie insetívora: o Myotis riparius, também conhecido como morcego-borboleta. Ele é chamado assim devido ao seu tamanho diminuto, pois pesa cerca de cinco gramas e mede apenas 47 milímetros! Deve ter sido inspirado nele que nasceu o ditado: “tamanho não é documento”, pois o morcego-borboleta é capaz de comer cerca de 500 insetos por hora. Devido a isso, esse pequeno mamífero voador é muito importante no controle de populações de insetos – como os mosquitos. 
     Mas como os morcegos capturam insetos tão pequenos, em pleno voo e no escuro? Eles usam uma membrana que existe entre as patas para “agarrar” a sua presa. Neste vídeo podemos assistir ao momento em que um morcego insetívoro captura uma mariposa.
     A ecolocalização é a emissão de sons de alta frequência que, ao se chocar contra alguma superfície, retorna aos morcegos e assim eles podem encontrar sua presa. Embora não sejam cegos, a maioria dos morcegos se orienta mais pela ecolocalização do que pela visão.
    Cada espécie na natureza forma uma rede complexa de interações e relações ecológicas que são fundamentais para o equilíbrio e a saúde ambiental. Preservar os locais onde os morcegos possam viver é contribuir para a nossa própria saúde.
     A cada dia que passa, os centros urbanos estão crescendo e as áreas verdes diminuindo. Ou encontramos maneiras de conviver todos juntos, ou levaremos muito mais espécies à extinção. Conhecer e compreender os morcegos, é caminhar para a elucidação dos medos e preconceitos que há em relação a esses animais.
    Dessa forma, o Observatório de Aves busca divulgar e educar para a compreensão dos morcegos, divulgação das pesquisas realizadas e educação ambiental. Queremos que o conhecimento adquirido ajude a proteger nosso Parque e a contribuir para a melhoria da qualidade de vida da população ao entorno.

Deixe um comentário