O Museu Biológico

     O Museu Biológico do Instituto Butantan possui uma longa trajetória na instituição. Com mais de cem anos de existência (as primeiras referências a palavra “museu” em documentos do Butantan datam de 1912), este é um tradicional museu da cidade de São Paulo, caracterizado por apresentar animais peçonhentos, imagens e peças associadas a acidentes com estes animais.
Vista aérea Museu Biológico

Primeiro museu do Butantan, o Museu Biológico situa-se na estrada do parque do Instituto.

     No início dos anos 2000, o Museu passou por ampla reforma e reestruturação de sua exposição de longa-duração. Houve uma importante mudança de foco na exposição: a diversidade dos animais peçonhentos, especialmente as serpentes, torna-se central na exposição, com o aumento no número de animais exibidos e dispostos lado a lado de modo a favorecer as comparações entre animais de diferentes habitats, regiões geográficas, sexo e idade. Aranhas e escorpiões de interesse médico continuaram a fazer parte da exposição. Também neste período uma nova área é agregada ao Museu Biológico: o Horto Oswaldo Cruz, uma área verde de aproximadamente 4 hectares, com trilhas e uma casa. Nesse espaço são oferecidas atividades para grupos escolares, grupos especializados e público espontâneo. Além disso, é um espaço compartilhado de trabalho entre as equipes do Setor Educativo do Museu e Observatório de Aves.
Área de visitação do Museu Biológico

Atualmente, a exposição do Museu Biológico exibe animais vivos em biodioramas, tendo como tema a diversidade de serpentes.

     Existe um desafio inerente ao trabalho educativo do Museu Biológico: como falar sobre animais geralmente identificados como “assustadores” ou “nojentos, e que podem efetivamente causar danos a saúde humana, mas que ao mesmo tempo são fundamentais para o equilíbrio de ecossistemas naturais e que são as práticas humanas que atraem estes animais para o ambiente urbano (como acúmulo de lixo e entulhos, por exemplo).
     Neste sentido, a equipe do Setor Educativo desenvolve atividades que visam abordar tais animais em contextos diferentes daqueles relacionados ao medo e exclusivamente a prevenção e primeiros socorros de acidentes, trazendo à tona questões relacionadas a conservação, evolução e cultura. De forma que o objetivo educacional do Museu é desenvolver ações que promovam experiências positivas e significativas do público com os animais em exposição, utilizando como referência o conhecimento científico e o constante compartilhamento entre o discurso científico e o conhecimento daqueles que nos visitam.
     Diante deste objetivo, as atividades são desenvolvidas para diferentes públicos e possuem como principais referências teóricas: educação patrimonial, alfabetização científica e ensino por investigação.
Fachada do Museu Biológico

Aberto de terça a domingo, de 9:00 às 16:30, o Museu Biológico recebe muitas escolas e grupos de visitantes.