Os saguis do Instituto Butantan
     Entre os animais que conseguem conviver conosco nas cidades brasileiras estão alguns que já viviam ali, como os sabiás, as capivaras, e alguns macacos como o bugio.
     Outros macacos (ou primatas, como às vezes são chamados) que conseguem conviver bem com os humanos são os saguis, do gênero Callithrix. Os saguis são comuns nas florestas brasileiras, e vivem em grupos familiares que se alimentam da resina das árvores, frutos, insetos e pequenos animais.
     Nas cidades do sudeste, como Rio de Janeiro e São Paulo, a espécie de sagui que podia ser encontrada era o sagui-da-serra-escuro, que não consegue viver junto aos humanos e está ameaçado de extinção. Com o passar do tempo, alguns saguis-de-tufo-branco, originários do nordeste, e saguis-do-tufo-preto, que vivem nas áreas de cerrado, foram soltos nas cidades. Esses animais podem tanto ter vindo do comércio ilegal de animais silvestres, para serem mantidos como animais de estimação, ou de apreensões por órgãos ambientais seguidas de soltura ou escape.
     Ao contrário de muitos outros macacos, eles conseguem sobreviver nas cidades, por serem adaptáveis e oportunistas, modificando sua dieta e comportamento silvestres para consumir outros alimentos, usando as árvores e frutos exóticos e até mesmo resto deixados por humanos.
     No parque do Instituto Butantan, assim como na vizinha USP, podem ser vistos diversos grupos de saguis, tanto de tufo branco quanto de tufo preto, e seus descendentes híbridos.
     Prestando atenção, é possível perceber os filhotes, que são normalmente gêmeos. As famílias de saguis são mais colaborativas do que as de outros primatas. Ao crescer, os filhotes aprendem como sobreviver, alimentar-se e como cuidar de filhotes, e em seguida deixam o grupo e vão procurar um parceiro para formar uma nova família.
Sagui-de-tufo-preto (Callithrix penicillata) Imagem: Erika Hingst-Zaher

Sagui-de-tufo-preto (Callithrix penicillata) Imagem: Erika Hingst-Zaher

     Apesar de ser muito interessantes de observá-los esses animais são capazes de abrigar vírus que são transmissíveis a outros animais, inclusive humanos, como raiva e herpes. Por isso, é importante procurar não ter contato com os saguis. Assim, não se deve alimentá-los, tanto porque há risco de ser mordido (afinal, são animais silvestres), quanto porque o alimento que você oferecer não será o mais adequado.

Deixe um comentário