Vegetação

     A história da Botânica no estado de São Paulo está intimamente ligada à história do Instituto Butantan. Em um período em que poucos institutos de pesquisa do País se dedicavam ao estudo da vegetação, o naturalista Frederico Carlos Hoehne iniciou a pesquisa sobre plantas medicinais e tóxicas no Instituto Butantan. Além do Horto Oswaldo Cruz, área onde eram plantadas diversas espécies de interesse médico, o Butantan abrigava também as coleções botânicas que faziam parte da Seção de Botânica do Estado de São Paulo. Dentre estas coleções havia um herbário (coleção-referência de espécies vegetais), uma carpoteca (coleção de frutos) e uma pequena xiloteca (coleção de madeiras). Devido a uma série de mudanças administrativas e institucionais, o trabalho de Hoehne no Instituto Butantan teve curta duração. Com a saída do naturalista, que anos depois fundou o Jardim Botânico de São Paulo, as pesquisas na área de plantas medicinais deixaram de ter continuidade no Instituto Butantan.
Horto Oswaldo Cruz com o prédio da biblioteca do Instituto Butantan ao fundo - Imagem: Album da Secção de Botanica do Museu Paulista

Horto Oswaldo Cruz com o prédio da biblioteca do Instituto Butantan ao fundo – Imagem: Album da Secção de Botanica do Museu Paulista

Arvore do papel de arroz (Tetrapanax papyriferum) no Horto Oswaldo Cruz - Imagem: Album da Secção de Botanica do Museu Paulista

Arvore do papel de arroz (Tetrapanax papyriferum) no Horto Oswaldo Cruz – Imagem: Album da Secção de Botanica do Museu Paulista

     Atualmente, quase 100 anos após o trabalho pioneiro de Hoehne, pesquisas na área de Botânica voltam a ser realizadas no Instituto Butantan. Tendo em vista o parque urbano que hoje existe na área do Instituto, nossas pesquisas têm como foco a vegetação urbana, procurando entender a composição de espécies vegetais através da realização de levantamento florístico, sensu de espécies vegetais e com base em resgate de documentos relacionados à história da área. As relações estabelecidas entre a vegetação e espécies da fauna local também são alvo de pesquisas realizadas através de monitoramento e acompanhamento dos ciclos de floração e frutificação das plantas.