Serpentes

     O conhecimento e a divulgação sobre a diversidade de serpentes, sua anatomia, propriedades de seus venenos e a produção de soro anti-ofídico são assuntos intimamente ligados à história do Instituto Butantan.
Capa de artigo de divulgação publicado pela Pan-American Union em 1945, falando do serpentário e das atividades do Instituto Butantan

Capa de artigo de divulgação publicado pela Pan-American Union em 1945, falando do serpentário e das atividades do Instituto Butantan

     Desde o início do século XX, o primeiro diretor da instituição, o médico Vital Brazil, identificou a importância médica e econômica dos acidentes ofídicos para o desenvolvimento do país. Dessa forma, começou a estudar as serpentes e buscar a melhor forma de tratamento para as picadas, quando este assunto era ainda alvo de quase nenhuma pesquisa.
Foto cavalo usado para a produção de soros. Para a produção de soro, primeiramente os cavalos são imunizados com antígenos específicos preparados com os venenos de serpentes, aranhas, escorpiões e lagartas. Os anti-corpos dos cavalos são retirados para produção dos soros.

Foto cavalo usado para a produção de soros. Para a produção de soro, primeiramente os cavalos são imunizados com antígenos específicos preparados com os venenos de serpentes, aranhas, escorpiões e lagartas. Os anti-corpos dos cavalos são retirados para produção dos soros.

     Um outro exemplo do pioneirismo de Vital Brazil e do Instituto Butantan é a iniciativa de estabelecer um vínculo, presente até os dias atuais, com a sociedade. O objetivo principal de Vital Brasil era obter serpentes para suas pesquisas, e para isto realizou campanhas de divulgação, oferencendo atividades de esclarecimento e ampolas de soro, em troca de serpentes coletadas por instituições e cidadãos comuns, em São Paulo e no Brasil inteiro.
O médico Vital Brazil Mineiro de Campanha, primeiro director do Instituto Butantan, fazendo uma demonstração com serpentes.

O médico Vital Brazil Mineiro de Campanha, primeiro director do Instituto Butantan, fazendo uma demonstração com serpentes.

     Para o envio gratuito das serpentes e das informações relacionadas aos exemplares enviados, o médico e pesquisador estabeleceu um acordo com as estradas de ferro, que possibilitavam o transporte gratuito das caixas de madeira enviadas pela instituição para as diferentes localidades. Essa relação com a sociedade que possibilita a parceria na coleta de dados e resulta no o envolvimento de pessoas comuns na produção do conhecimento científico, é hoje em dia conhecida como “ciência participativa” ou “ciência cidadã”.
Caixa para o envio de serpentes e laço-de-lutz para sua captura

Caixa para o envio de serpentes e laço-de-lutz para sua captura

     Atualmente esta forma de estreitar laços entre a sociedade e a ciência é grandemente facilitada pelo uso da internet, mas Vital Brasil usou, em suas iniciativas, a imprensa e as ferrovias, em um processo muito mais complexo mas cujos resultados se refletem na imensa popularidade do Instituto Butantan, desde 1900 até hoje em dia. Paralelamente à coleta de dados enviados pelas fazendas e pessoas, Vital Brazil realizava demonstrações públicas tendo as cobras como tema central, o que foi muito importante para definir o perfil do Instituto Butantan como um centro de pesquisa de referência e de divulgação de conhecimento agregado pela ciência, e ainda para torná-lo um destino popular de visitação.
Sepertário em 1915 e demonstração com serpentes realizada no serpentário, na década de 30.

Sepertário em 1915 e demonstração com serpentes realizada no serpentário, na década de 30.

     O serpentário, existente deste 1912, é a atração mais visitada do Instituto, juntamente com o Museu Biológico, o primeiro museu criado e que atualmente exibe principalmente serpentes vivas.
Demonstração de serpentes e de como seu veneno é retirado.

Demonstração de serpentes e de como seu veneno é retirado.

     Dessa forma, a equipe do Museu Biológico e do Gabinete de Curiosidade não poderiam deixar de lado as serpentes, que além da sua importância ecológica e de ser alvo de curiosidade e fascínio, estão na raiz da relação entre o Instituto Butantan e seu público.
     Diversos projetos de pesquisa e divulgação com serpentes são desenvolvidos. Cada um deles é descrito aqui, junto com as notícias mais importantes sobre cada assunto.